Jerónimo Pizarro: «A Ansiedade da Unidade: Uma Teoria da Edição»

Na passada quinta-feira, 5 de dezembro, a equipa do projeto ‘Nenhum Problema Tem Solução: Um Arquivo Digital do Livro do Desassossego‘ recebeu a visita de um dos consultores: o editor e crítico Jerónimo Pizarro, que lecionou um seminário intitulado «A Ansiedade da Unidade: Uma Teoria da Edição». O editor da obra pessoana falou, entre outros temas relacionados com a edição dos manuscritos do espólio, sobre a necessidade de não canonizar nenhuma das edições dada a natureza do Livro do DesassossegoO editor especificou que o trabalho com o espólio obriga a repensar questões de tipo filológico e hermenêutico: o que é um fragmento, o que é um trecho, o que é um Livro, o que é um autor.

Depois de analisar diferentes teorias sobre a edição, a interpretação e a concepção do autor (Barthes, Foucault, McGann, Eco, Greetham, Bowers, McKenzie, etc…), Pizarro concluiu que o Livro é feito por todos, não só por Pessoa, que deixou os fragmentos na arca sem indicações claras, senão também pelos editores que o organizaram, pelas editoras que têm uma determinada linha editorial, pelos leitores, etc., em suma, por todos os agentes e processos sociais que têm convertido a obra de Fernando Pessoa num monumento. Dessa conferência, apresentamos um breve excerto em vídeo:

Resumo da comunicação
Em 1973 foi publicado o livro The Anxiety of Influence: A Theory of Poetry, de Harold Bloom. Uma variação deste título pode ser útil hoje para descrever um outro tipo de ansiedade, o da unidade, não menos abrangente e condicionante do que o da influência. Tanto o campo da edição, como o da interpretação são campos que, contra a realidade e todas as provas materiais, vivem imersos nesse outro tipo de ansiedade. Quer a interpretação, preocupada com a intenção do autor, da obra ou do leitor, quer a edição, angustiada com as intenções finais do autor e o estabelecimento do copy-text, parecem, por vezes, pouco capazes de se libertarem dessa ansiedade do uno e de se adaptarem à existência do múltiplo. Esta conferência procurará fazer um novo apelo a uma necessária mudança de paradigma, atendendo, em especial, às novas e libertadoras possibilidades abertas pela edição eletrónica. Atenção especial será dedicada a Fernando Pessoa e ao Livro do Desassossego. JP

Jerónimo Pizarro é doutorado em Linguística Portuguesa pela Universidade de Lisboa e em Literaturas Hispânicas pela Universidade de Harvard. Foi Professor do Programa de Crítica Textual da Universidade de Lisboa e é membro do grupo de trabalho que desde 1988 publica a edição crítica das obras completas de Fernando Pessoa. As suas áreas de interesse e conhecimento são a crítica textual, as literaturas hispânicas e as literaturas de expressão portuguesa. Tem editado e organizado vários livros, entre os quais a primeira edição crítica-genética do Livro do Desassossego (Imprensa Nacional–Casa da Moeda, 2010) e o volume coletivo Portuguese Modernisms: Multiple Perspectives on Literature and the Visual Arts (Legenda, 2011). Duas das suas últimas edições são Eu sou uma antologia: 136 autores fictícios (co-organizada com Patrício Ferrari; Tinta da China, 2013) e uma nova edição do Livro do Desassossego (Tinta da China, 2013). Entre os seus livros de ensaios, refiram-se Pessoa Existe? (Ática, 2012) e La mediación editorial: sobre la vida póstuma de lo escrito (Iberoamericana-Vervuert, 2012). Foi distinguido em 2013 com o Prémio Eduardo Lourenço.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: