T.E.I.

T.E.I. aplicado ao Livro do Desassossego

T.E.I. (Text Encoding Initiative) designa uma norma de codificação de textos em formato digital, desenvolvida desde 1988 por um consórcio de instituições (universidades, bibliotecas, associações científicas). O objetivo desta norma é unificar a forma como os textos são representados eletronicamente e assim facilitar o processamento automático da informação. Trata-se de uma convenção bastante poderosa, composta por módulos de codificação para quase todos os tipos de texto e de problemas de representação das estruturas e variantes textuais. A atual versão da norma (TEI P5) foi publicada em 2012 e o manual tem 1547 páginas.

No caso dos projetos de edição crítica ou edição genética, por exemplo, a aplicação dos marcadores XML de acordo com a norma T.E.I. permite a comparação automática de diferentes testemunhos textuais. A sua adoção por diferentes projetos e sistemas de edição torna possível um nível maior de interoperabilidade entre edições de tradições textuais e períodos históricos diversos. No caso das edições críticas, os textos codificados podem ser lidos por um software específico que interpreta a codificação e apresenta ao leitor o texto comparado e com todas as variantes.

Arquivo_LdoD

Protótipo do site desenhado pela equipa de Coimbra

De forma resumida, podemos dizer que o TEI funciona como uma linguagem que articula o aparato crítico de um texto, marcando com código específico todas as diferenças e variantes textuais que um testemunho pode apresentar. No caso de Fernando Pessoa e do Livro do Desassossego a complicação e sofisticação na codificação adquire uma relevância significativa devido ao grande número de variantes a ter presentes (ortográficas, textuais, interpretativas e editoriais). Por exemplo, um fragmento de dois ou três parágrafos com muitas variantes pode implicar entre 10 e 20 folhas escritas com código T.E.I.

Mostramos a seguir  algumas das soluções que a equipa do projeto tem encontrado para os problemas que os textos levantam:

TEI_FP_ort

TEI_FP_subst (1)

A codificação e representação dos textos de Pessoa desta forma permite refletir sobre o próprio processo de escrita, sobre questões de interpretação e sobre a natureza da materialidade da fonte testemunhal. A codificação dos fragmentos tem sido avaliada pela comunidade de especialistas T.E.I., que num recente colóquio em Itália reconheceu a qualidade do trabalho feito pela equipa, tanto na codificação como no desenvolvimento do software.

Artigos relacionados com a codificação T.E.I.

Portela, Manuel – ‘Nenhum Problema Tem Solução: Um Arquivo Digital do Livro do Desassossego´, MatLit, Volume 1, Número 1, 2013, pp. 9-33. ISSN 2182-8830.

Giménez, Diego – ´Fragmentación y Edición en el Libro del Desasosiego´, MatLit, Volume 1, Número 1, 2013, pp. 57-73. ISSN 2182-8830.

Comunicações relacionadas com a codificação T.E.I.

Portela, Manuel – ‘Virtualizing Writing in Pessoa’s Book of Disquiet’, Symposium ‘Surface Tensions: Literature in the Database’, organizado pelo projeto ‘Creative Nation: Writers and Writing in the New Media Culture’, School of Humanities and Communication Arts, University of Western Sydney, Sydney, 10 de junho de 2013.

Manuel Portela: «A Função-Autor no Arquivo LdoD» no Seminário «Projeto LdoD: Seminário 2» (CLP, Universidade de Coimbra, July 11, 2013).

António Rito Silva: «O Suporte Computacional do Arquivo LdoD: o estado atual do desenvolvimento e os aspetos colaborativos da edição virtual» no Seminário «Projeto LdoD: Seminário 2» (CLP, Universidade de Coimbra, July 11, 2013).

Diego Giménez: «Codificação TEI no Arquivo LdoD: problemas e soluções» no Seminário «Projeto LdoD: Seminário 2» (CLP, Universidade de Coimbra, July 11, 2013).

Silva, António Rito e Manuel Portela – ‘Social Edition 4 The Book of Disquiet: The Disquiet of Experts with Common Users’, no colóquio ‘ECSCW 2013: European Conference on Computer- Supported Collaborative Work’, University of Cyprus, Cyprus, 21-25 de setembro de 2013.

Silva, António Rito e Manuel Portela – ‘TEI4LdoD: Textual Encoding and Social Editing in Web 2.0 Environments’, no colóquio ‘The Linked TEI: Text Encoding in the Web’, DIGILAB, Università La Sapienza, Roma, 2-5 de outubro de 2013.

Portela, Manuel – ‘Reimaginar a edição digital no projeto LdoD’, comunicação dirigida ao Centro de Estudos de Língua, Comunicação e Cultura (CELCC), do Instituto Superior da Maia, 7 de novembro de 2013.

Portela, Manuel e António Rito Silva – ‘Encoding and Visualizing Variation in LdoD’, no colóquio “Variance in Textual Scholarship and Genetic Criticism/La variance en philologie et dans la critique génétique“, 10th Conference of the European Society for Textual Scholarship, ITEM – Institut des textes et manuscrits modernes, École Normale Supérieure, Paris, 22-24 de novembro de 2013.

Portela, Manuel – ‘A edição digital e a biblioteca digital: o caso do LdoD’, no colóquio ‘A Biblioteca da Universidade: Permanências e Metamorfoses’, Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, 16-18 de janeiro de 2014.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: